Arquivo | mii RSS feed for this section

A robotização da pop music – um espelho do século XXI?

25 mar


Acabei de entrar no site da Christina Aguilera e a primeira coisa que eu vi foi uma foto enorme dela editada de uma forma fascinante: metade do seu rosto era humano e metade biônico. Combinava, de fato, com o nome do novo álbum “Bi~on~ic”. Seu olhar sem expressão e a boca curvada pra baixo me lembrou um robô, realmente. Mas não só isso, me lembrou também da cena pop atual, o futurismo e a robotização da música e de seus artistas.

Nos anos 60, Pierre Cardin inovou o mundo da moda criando sua coleção “Cosmos”, composta de roupas futuristas que te faziam dar a sensação de estar num filme de ficção científica, algo meio “2001: Uma Odisséia no Espaço”, de Stanley Kubrick. Naquela época, o futurismo era só uma viagem momentânea de um artista, já que a tecnologia não era algo realmente presente no dia-a-dia das pessoas. As coisas não passavam de uma pressuposição de como seria o futuro. A música nos anos 60 era à base do rock’n’roll, a nova mistura de Blues com Country que virou sensação rapidamente com bandas como The Beatles e The Who. As gravações eram de certa forma pobres, já que não existiam equipamentos potentes pra captação de áudio e fabricação de LPs.

Luli Radfahrer, em sua palestra no Almanaque de Criação (em Brasília), disse que a Publicidade e a Propaganda pode ser dividida em 3 fases: do Neandertal até 1910, onde tudo era muito rústico; de 1910 até 2003, onde as coisas começaram a melhorar com o surgimento de novas técnicas; e hoje em dia, onde o digital domina os processos criativos das agências. De certa forma, temos três marcos na história da música atual também:
1) 1950 – Surgimento da febre Rock’n’Roll
2) Final dos anos 90 – Pop Music (Britney Spears, Christina Aguilera, Shakira, etc)
3) 2009 – Lady Gaga.

Lady Gaga? Claro, como não? Quem foi o artista que introduziu esse conceito futurista XXI na música pop? Quem foi o artista que destruiu a pop music dos rostos bonitinhos e das coreografias de boybands em uma pop music condizente com a realidade tecnológica/robótica do nosso século?
E digo mais: quem foi o artista que lançou uma tendência com isso tudo?

A moda é cíclica, todos nós sabemos disso. Quando Pierre Cardin lançou sua coleção futurista nos anos 60, acho que ele não estava fazendo mais do que visualizando um possível futuro em uma realidade diferente, uma realidade marcada ainda pelas amizades duradouras, pelas cartas e pelas conversas na rua no final da tarde. Quando Lady Gaga lançou seus clipes e outfits futuristas em 2009, acho que ela não estava fazendo mais do que mostrando a realidade do século XXI, o que estamos vivendo: a tecnologia envolvendo o ser humano, mesmo que inconscientemente. Christina Aguilera que o diga, biônica.

Qual será o próximo artista que vai seguir a linha “Future Pop” de Lady Gaga? Os críticos poderiam marcar a década de 2010 como a década do “Future Pop”, assim como 1960 foi a década do Rock’n’Roll.

Anúncios

Gravação do 1o DVD do…

10 jan

TIRIRICA!

É isso aí, garela! Comprovando neste momento a diversidade de cobertura de eventos e shows do Panz e Pimba, estou escrevendo esse report sobre a gravação do primeiro DVD do maior humorista do Brasil!

O senhor Francisco Everardo Oliveira Silva, conhecido mundialmente pelo pseudônimo de Tiririca, passou por Fortaleza neste fim de semana (8 a 10 de Janeiro) com o show “Um é Bom, Dois é Melhor Ainda”. Com a intenção de fazer apenas 3 apresentações de sexta a sábado, o humorista acabou terminando sua saga com nada mais nada menos que SEIS shows em 3 dias! Os três dias serão utilizados para a gravação do primeiro DVD de sua carreira.

A mii aqui foi pro show de sábado, 9 de Janeiro. Após uma espera de 40 minutos na fila, com a “sorte” de ter pego uma bela chuva, finalmente entramos no auditório do Centro de Convenções! Eram 21h20 quando Tiririca entrou no palco, com enfeites no teto que lembravam balões de festa junina, luzes coloridas no chão e uma TV de LCD ao fundo onde passavam fotos dele com a família.

Durante o show, o humorista contou várias piadas clássicas de sua carreira, como a do “fasta aí, fasta”, piadas sobre sua família e, claro, cantou várias músicas do CD novo e as que fizeram sucesso antigamente (alguém aí lembra da “Ele é corno mas é meu amigo”?). Durante a apresentação, que durou cerca de 2 horas e 15 minutos, a família também subiu ao palco, incluindo seu filho Tirulipa e sua esposa. Como não poderia faltar num show de humor cearense, claro que várias pessoas da platéia acabaram sendo alvo de algumas piadas e brincadeiras.

Perto do final, Tiririca fez questão de cantar seu maior sucesso, que o levou à fama: Florentina! E, quando pensávamos que já tinha acabado, como o bom religioso que é, ele resolveu colocar também no repertório seu agradecimento a Deus, cantando a música “Entra na Minha Casa”, de Regis Danese, momento esse que contou com a presença de todo o elenco em cima do palco, com direito a choro e abraços apertados.

Com certeza Tiririca fechou esse ciclo de sua carreira com chave de ouro! Tenho certeza que ele deu muito orgulho ao cearense neste fim de semana, com todos os seus shows lotados. Com certeza provou ser o maior humorista deste Brasil!

A criadora do verdadeiro Future Pop

9 dez

Por mii

O Século 21 tem passado por transformações cada vez mais rápidas. A tecnologia invade cada vez mais as produções artísticas, como podemos ver com os videoclipes, cada vez mais bem feitos e com efeitos cada vez mais surpreendentes.

Apesar disso, a fórmula da música pop parece ter estagnado nos anos 90, já que, uma vez funcionando por tanto tempo, dificilmente alguém iria mudar isso de uma hora pra outra.
Ou não. No final de 2008, todos nós acompanhamos o surgimento de uma nova estrela pop, que une a tecnologia com a música de uma maneira única: Lady Gaga.

Mas quem é ela? De onde ela surgiu? Pra quem não sabe, ela trabalhava na Universal Music há alguns anos, compondo músicas pra artistas como Pussycat Dolls e Britney Spears. Mas foi o cantor pop Akon quem descobriu o grande talento que existia nela. Lady Gaga trabalhava na gravadora de Akon, que um dia pediu pra que ela cantasse uma música que ele havia feito apenas para referência vocal. Descobriu então, que a menina sabia cantar. E como.

Além de cantar, Lady Gaga sabe usar sua loucura para inovar. Aliás, essa palavra a define perfeitamente bem: inovação. Ela ousa sem ter medo. Seus figurinos parecem ter saído de um filme de ficção científica, ou talvez de um episódio dos Jetsons. As roupas vão muito além da lycra com decote da maioria das cantoras pops tradicionais, que aparecem constantemente na televisão, partindo muitas vezes para o bizarro e o excêntrico. Graças a Deus, pois acho que muita gente já estava cansada da mesma fórmula de figurino normalzinho.

Outro ponto digno de comentário são as coreografias. Alguém, por favor, me diga quem é o coreógrafo dela! Pra quem já está cansado de ter dejavus ao assistir clipes de cantoras na televisão, de tanta repetição de movimentos, assista a qualquer coisa da Lady Gaga! Alguns passos são tortos e estranhos que fabulosamente se completam e se transformam em algo extremamente interessante, desafiador. É como se ela estivesse falando pras outras cantoras “duvido que vocês tenham coragem de dançar desse jeito! Isso nem combina com a sua música sem graça!”.

Além de dos figurinos e das coreografias, podemos destacar a produção de seus clipes. É notável uma influência da arte pop do século XIX e da arte surrealista da mesma época. O futurismo predomina na maioria de seus clipes. Às vezes existe até um mix de futurismo com o presente, só pra mudar um pouco. Temos a sensação de que acabamos de entrar num quadro vivo pixelizado. É fato que Lady Gaga criou uma nova tendência de clipes e artistas futuristas. Se a tendência era usar tecnologia nas produções, agora a tendência é SER a tecnologia nas produções.

Sua música também merece um comentário à parte. Ela possui melodias fortes, que vão muito além da batida repetitiva com uma voz fanha como a maioria das cantoras pops atuais. Poucas, aliás, se mostraram tão influente com tão pouco tempo de carreira.

Lady Gaga não precisa forçar, e tudo o que ela faz, de alguma forma, acaba saindo naturalmente, sem passar a idéia de apelação, afinal de contas, ela e seus clipes afundam num conteúdo artístico muito forte. Por ser tão única, não precisa seguir fórmulas e padrões pré-concebidos de uma artista pop. Aliás, ela sim acaba de criar a nova regra do verdadeiro future pop, como deve ser.

Abaixo estão dois vídeos que mostram todo o potencial vocal de nossa diva. Espero que gostem!

Resenha sobre Jennifer’s Body

2 nov

mii, mais do que nunca viciada em filmes, está aqui para postar mais uma resenha!

Dessa vez é do lançamento (que em São Paulo não é mais tão lançamento assim… mas ainda não chegou em Fortaleza ¬¬) JENNIFER’S BODY! (que agora vai ter o livro lançado, com o roteiro completo, sem cortes)

Pois é, o filme, muito aguardado pelos fãs de Megan Fox e Amanda Seyfried, tem o roteiro escrito por ninguém mais ninguém menos que Diablo Cody! Sim, a mesma roteirista do vencedor do Oscar JUNO.

Tenho que dizer que fiquei ansiosa pra ver o filme por ser fã da Megan, mas fiquei ainda mais animada quando vi que o roteiro era da Diablo Cody. Pra quem ainda não viu Juno, veja! Definitivamente é um filme merecedor de um Oscar, talvez eu faça até uma resenha mais pra frente sobre ele.

Ok, filme de terror colegial, Megan Fox no papel de Jennifer, a popular menina do colégio pela qual os homens babam, Amanda Seyfried interpretando Needy, a melhor amiga de Jennifer, que não é tão popular assim.

A história do filme se passa numa cidade do interior, quando uma banda de rock planeja um ritual satânico para poder ganhar sucesso. Para completar o ritual, eles precisam ofertar uma virgem, e quem acaba virando a vítima? Jennifer, é claro! Mas algo dá errado: Jennifer não é exatamente virgem, e isso acaba trazendo uma consequência terrível para ela, o diabo passa a tomar conta de seu corpo e Jennifer começa a comer rapazes do colégio (literalmente!) para que consiga sobreviver. A tarefa de Needy é justamente salvar a sua amiga e o seu namorado, que é uma vítima em potencial.

Até aí tudo bem, parece um filme muito interessante. De fato, seria muito mais interessante se Diablo Cody tivesse se aprofundado mais no roteiro. A sensação que dá é de que a história ficou superficial demais, talvez pra atrair mais o público jovem, que parece ser o alvo principal de Diablo em suas produções. Temos alguns erros de continuação, coisas que não foram explicadas muito bem, buracos na história. No final podemos encontrar uma grande metáfora que pode ser reforçada com outras cenas ao longo do filme, mas é a única parte realmente bem planejada. Nem mesmo o terror do filme é bem explorado, muitas cenas de morte apareceram como se tivessem sido “censuradas”, mostrando só as sombras dos personagens. Teria Diablo feito isso para pegar indicação baixa, já que seu público-alvo são os adolescentes?

De um modo geral, é possível observar o potencial desse roteiro, mas a execução pobre acabou estragando o filme. Até mesmo o cartaz do filme é meio tosco, meio trash, parece até que foi feito assim de propósito. As únicas coisas que salvam de verdade são as atuações de Megan Fox e Amanda Seyfried, que demonstram grande evolução profissional (depois de ver esse filme, vale a pena ver Confessions of a Teenage Drama Queen pra morrer de vergonha alheia pela Megan…). E pra quem gosta de filmes de terror trash com comédia, também vale a pena.

Review do filme Mamma Mia!

31 out

E aí garela, aqui é a mii e eu estou fazendo minha primeira postagem cinéfila!
Pois é, percebi que ando vendo muitos filmes (tanto em casa quanto no cinema), e achei que seria de grande utilidade se eu fizesse reviews a respeito do que vi, pro pessoal que gosta de ver outras opiniões, e pro pessoal que tá afim de ver algum filme, mas não sabe se é bom ou não.

Deixando as fangirlisses de lado, estou procurando ser bem direta e imparcial (em termos de gostar ou não de um ator/atriz) nas minhas resenhas.

Pra começar, escolhi o filme Mamma Mia, um musical com as músicas do Abba, que se passa numa ilha grega chamada Kalokairi.

O elenco principal já te anima a assistir o filme: Meryl Streep (The Devil Wears Prada, Doubt, Julie & Julia), Amanda Seyfried (Mean Girls, Jennifer’s Body), Pierce Brosnan (007, Mrs. Doubtfire) e Colin Firth (Bridget Jones, Dorian Gray).

O centro da história é o casamento da jovem Sophie (Amanda Seyfried), que nunca conheceu o seu pai verdadeiro (nem a sua mãe sabe quem é!). Um belo dia, ela encontra o diário da mãe, Donna Sheridan (Meryl Streep), escrito no ano em que Sophie nasceu, e descobre que ela dormiu com três homens na mesma época. Sophie decide, então, enviar convites para estes três homens, a fim de tentar descobrir, até o dia de seu casamento, qual deles é o seu pai biológico.

O enredo foi adaptado do filme Buona Sera, Mrs. Campbell, de 1968. Eu assisti a esse filme no cinema e revi em casa para poder fazer esta resenha. Nas duas ocasiões, me senti em um teatro, talvez por ser um musical, então os atores tendem a fazer atuações um tanto quanto teatrais demais para um filme.

Os personagens tem personalidades muito marcadas. Por exemplo, Donna Sheridan é a típica mulher retradada nos filmes que se passam na Grécia, que não está acostumada com as grandes modernidades das metrópoles americanas, muito caseira, de bem com a vida. Suas duas amigas são a antítese incorporada: uma está no terceiro casamento, é extremamente “perua”, rica e não está acostumada com a vida “rústica” que Donna leva; a outra adora cozinhar, já escreveu livros sobre o assunto, é despojada, alternativa, a típica mulher que já passou dos 40 anos mas que ainda não esqueceu o seu espírito jovem e aventureiro.

Percebi que uma boa forma de ver se o ator é realmente bom é colocando-o num musical. Acredito que o musical exija uma atuação muito mais forte, e se o ator não é bom o suficiente, pode acabar forçando demais e fica realmente algo muito falso. Em Mamma Mia, Meryl Streep mostra que é uma mulher de várias facetas, definitivamente uma atriz completa. Pra quem só lembra dela em papéis sérios como a Miranda de The Devil Wears Prada, ou a Irmã Aloysius Beauvier de Doubt, vale a pena vê-la cantando as músicas do Abba e fazendo o papel de uma mulher tão descontraída.

Quanto à Amanda Seyfried, posso dizer que este foi o primeiro filme que a vi realmente atuar. Só lembrava dela pelo papel em Mean Girls, coadjuvante sem muito brilho, fazendo um papel de uma adolescente americana que se deixava levar pelas amigas populares do colégio. Em Mamma Mia, Amanda Seyfried mostra que tem talento, não só para atuar como para cantar também. Não exagera, mas também não é ofuscada, fica no ponto ideal, marca como deve marcar e nos emociona assim mesmo.

Para aqueles que gostam de chorar vendo filmes, Mamma Mia também possui momentos sensíveis, como quando a mãe de Sophie vai ajudá-la a se vestir para o casamento, e as duas começam a cantar “Slipping Through My Fingers”, mostrando a efemeridade do tempo para a mãe, como a sua filha cresceu rápido e agora está escorregando por entre seus dedos.

O final irreverente chega a parecer demais um conto de fadas, onde todos terminam felizes. Na verdade, o filme inteiro, até mesmo nas partes mais tensas, carrega uma energia muito boa, seja pela atuação do elenco quanto pelas músicas do próprio Abba. Pode não ser um daqueles 90 minutos de onde você tira uma lição de vida, mas é interessante ver como os personagens lidam com situações tão irreverentes. É curioso também ver como as músicas se encaixam perfeitamente bem nas cenas e nos acontecimentos. A equipe de roteirização fez um bom trabalho, definitivamente!

Mamma Mia não é um filme com uma grande produção como Moulin Rouge, mas carrega o mesmo orgulho de ser um musical com uma trilha sonora tão importante. Com bela fotografia e um roteiro que flui naturalmente, recomendo não só para os fãs de Abba, mas para todos os que apreciam filmes com um belo toque artístico.

Panz e PimDIVAS: MEGAN FOX

18 jun
Post inesperado de mais uma Panz e PimDIVA! Pra quem não viu o anterior, sobre a NENÉÉÉÉÉÉÉÉÉM EVA MENDES, procure no histórico do blog! -qq

Pois agora esqueçam Eva Mendes que o negócio é MEGAN FOXXX (seria ela parente de Luísa Lovefoxxx??)

Lovefoxxx godinha!………………… RONALDO

Espero que não -RSRRS

POIS SIM! Nossa querida musa, Megan, se chama, na verdade, Megan Denise Fox e nasceu no dia 16 de Maio de 1986 (O QUEEEE?? ELA TEM SÓ 23 ANOS? O.O Juro que fiquei passada, JOGA NEONN MEU BEMM)

Ela já foi comparada com Angelina Jolie, sendo chamada até de “a próxima Lara Croft”… será por causa do seu bocão?

Ou por causa de seu ‘talento’ mesmo? RS

Sua estréia nas telonas foi com o filme Holiday in the Sun (2001), das gêmeas OLSEN, onde interpetou o papel de uma menina chamada Brianna. Entre filmes e seriados dos quais já participou, podemos citar vários bem conhecidos como “Two and a Half Men”, “What I Like About You”, “Confissões de uma Adolescente em Crise” (onde fez parceria com Lindsay Lohan), “Hope & Faith” (É O NOOOOOOOOVO) e aquele que a deixou ainda mais famosa: TRANSFORMERS!

“MIN DA UN BEGO MIN DA KDKDKD BEGOOO MUAH MUAH”

Megan foi eleita a mulher mais sexy do mundo em 2008 pela revista FHM e é dona de várias tatuagens, sendo:

– Uma nas costas escrita “We will all laugh at gilded butterflies” (trecho retirado de uma das obras mais famosas de Shakespeare: O REI LEAR! -> VIU COMO EU SOU CULTURA? D:)
– Uma na costela escrita “There once was a little girl who never knew love until a hug broke her HEART”
– Uma no pulso com um desenho tribal que mostra sua paixão pelo surfe
– Uma em homenagem ao ex-namorado Brian Austin Green (que eu não sei onde fica IUADSHIUAE *GÊNIO*)
– Uma no antebraço direito com o rosto de Marilyn Monroe (sua mãe estava assistindo a um de seus filmes logo antes de Megan nascer)
– Uma no calcanhar (?) com o desenho de uma estrela e uma lua crescente



E, claro, para fechar esse post, eu TINHA que colocar o BAFON mais TO BEGE e recente dela: MEGAN FOX DECLARA SER BISSEXUAL E CHAMA HOMENS DE “SUJOS” (pra mim ela é uma entendida enrustida, mas ok).

Megan Fox se pegando

POIS É GARELAA. Meu post fica por aqui, espero que tenham gostado e que tenham aprendido a lição mais valiosa deste post!:

RONALDO!

Panz e PimDIVAS – 1o Post

11 jun
OI OI OI DRUGUES

Aqui é a mii estreiando a nova seção do Panz e Pimblog: Panz e PimDIVAS. A cada postagem traremos um resumo e curiosidades sobre a vida e carreira de uma DIVA diferente. E pra começar: EVA MENDES! (que é também uma mulher bem OMG TÁ QUENTE AQUI, mas não tanto quanto a Scarlett vailáemcasaemejoganaparedemeubemm)

Eva Mendes te ignora

Sim! Ela, a mulher que foi eleita a “mulher mais desejada” de 2009, nasceu em 5 de Março de 1974, em Miami, e é descendente de cubanos (isso explica sua beleza latina né plzz). Tem duas irmãs e um irmão, sendo todos mais velhos que ela. SE A MAIS NOVA É ASSIM, IMAGINE O RESTO VIIIIIIISH TEEEENSO HEIN.

Eva Mendes está muito ocupada para falar com você

E como começou a sua carreira, você se pergunta?
Pois eu lhe respondo! (ou o google, né /hm) Eva Mendes estava estudando marketing no final da década de 90 quando um agente tropeçou em sua foto quando lia atentamente o portfolio da vizinha dela. TIPO Q, QUERIA TROPEÇAR NELA TAMBÉM RS KK Imagina você andando na rua e tropeça na Eva Mendes! “*se levantando* Ai, desculpa… *olha pra cara dela* OMG VAI LÁ EM CASA MEU BEM, TEM ROUPA PASSADA E COMIDA PRONTA RS” -n

Atoron o perigon da Eva!

Na lista dos filmes que ela já fez, podemos encontrar alguns bem conhecidos como “The Spirit” (Eva Mendes + Scarlett Johansson = morte antes dos 20), “Motoqueiro Fantasma”, “Hitch – Conselheiro Amoroso”, “+ Velozes + Furiosos”. Falando em Scarlett Johansson, a primeira parceria (UI TEMDEMSYAA) das duas foi no filme “Pig – Uma Aventura Animal” (que eu nunca vi, btw, mas já tô procurando pra baixar KK).

Eva Mendes está te ceduzimdo rs

E agora algumas curiosidades sobre a diva/musa/NENÉÉÉÉÉÉM *marcos mion*:

– Ela participou do clipe The End Has no End, do The Strokes
– Participou também de um vídeo do Aerosmith, logo que tropeçaram na foto dela kk
– Já fez um livro para crianças chamado “Crazy Leggs Beshee” (traduzido para o Português como “A beesha das pernas loucas /atoron” -brimks ok)
– Já foi pra REHAB! SIMMM, nossa querida musa já parou numa clínica de reabilitação nos EUA, mas até hoje não se sabe de qual substância a bonitinha tentou se livrar, o importante é que se livrou, né?
– Queria ser uma freira quando pequena, enquanto estudava numa escola católica (Agora convenhamos, se essa mulher virasse freira, até eu ia pro convento KKK)

Eva Mendes é linda, poderosa, é Stefhany!

E dedico a todas as pessoas que não são de ferro kkk as fotos seguintes (aviso: Se você pretende ficar vivo até os 20 anos, não veja rs. E obrigada, Alice, pelas fotos temdemsyosas kkk)




BEGOS VEMAQUIPRACASAEVA!