Arquivo | Histórias Macabras da política nacional RSS feed for this section
8 jul

Gente, todo mundo sabe dessa confusão que vêm tomando o país nesses últimos dias. É o Lula curtindo a torre Eiffel, dizendo haver apenas uma divergência no senado, enquanto nossos impostos
se esvaem em Atos Secretos e etc.
Venho, então, por meio desse humilde post contar uma trágica história.
Era uma vez, um miserável estado chamado Maranhão, onde havia a pobreza do Nordeste regada às fortes chuvas do Norte brasileiro. Existia uma clã político poderoso, ligados pelo sangue, eles tinham cópias das incríveis chaves do tesouro estadual, que passadas de geração em geração eram
utilizadas à bel-prazer .Nasceu então na data de 24 de abril de 1930 o iluminado do clã, apelidado de “Zé do Sarney” mostrou cedo suas habilidades em “emburrecimento de massa” e em “manipulação de mídia para auto-favorecimento” , tornando-se o queridinho da família e tendo acesso a ÍNCRIVEL CHAVE bem cedo.
Durante 40 anos ele saiu do pobre Maranhão para o mundo, de deputado à presidente da cômica republica brasileira, esvaziou prateleiras com os ridículos ”fiscais do Sarney”, chegando a presidência do senado, onde canta à três mandatos de presidência “daqui vejo os seus podres daqui ninguém me tira”.
Enquanto isso, continuava dominando, juntamente com seu CADA VEZ MAIS ENORME clã, a ferro e fogo o estado mais miserável da nação, chegando a fechar televisões e jornais, tirando do ar a Rede Globo de Televisão(que num é bicho pequeno, imaginem o que fará conosco pobre Panzjornaleiros) e etc. Não muito longe dali, um juiz fazia sucesso com os pobres coitados de Santa
Quitéria, o nome dele era Jorge Moreno e, simplesmente, acabara com o sub-registro no município, uma das máculas das seguidas administrações da família Sarney no estado, sendo homenageado pelas Nações Unidas pelo feito de conceder certidão de nascimento e carteira de identidade para 100% daquela população. Mas se você ainda acha que a ONU tem alguma moral após a invasão do Iraque pelos EUA, tenho que dizer que Brasil é terra de lei, mas que esta é gerida por certas pessoas, os antagonistas ricos.
O juiz daquele parco município notara que o Programa Luz para Todos, chegara ao município,
mas apenas naquelas placas 99.99% ilusórias, que estamos acostumados a ver. Era ano de eleição,
ou seja, a festa de quem dá mais pra quem tem menos.E ele descobriu e, portanto, denunciou o uso eleitoral das verbas federais.Daí o BEM venceu o MAL e a tia pode, finalmente, assistir àquela novela “Andando nas nuvens”…huahuahuhuahuahuahuhauhuahuahuahuhuahu…cê tah brincando, né?
O negocio ‘mi hermanos’ é que mexeram com comparsas do Sarney, e ele, que já era Bicho Homem, já tinha roubado e mandado matar, pediu um favorzinho, daqueles que só se pede pra família, sua cunhada, a desembargadora Nelma Sarney, aposentou o Juiz Jorge Moreno aos 42 anos, sobre a acusação de desenvolvimento de uma ação político partidária.

Gente, todo mundo sabe dessa confusão que vêm tomando o país nesses últimos dias. É o Lula curtindo a torre Eiffel, dizendo haver apenas uma divergência no senado, enquanto nossos impostos
se esvaem em Atos Secretos e etc.
Venho, então, por meio desse humilde post contar uma trágica história.
Era uma vez, um miserável estado chamado Maranhão, onde havia a pobreza do Nordeste regada às fortes chuvas do Norte brasileiro. Existia uma clã político poderoso, ligados pelo sangue, eles tinham cópias das incríveis chaves do tesouro estadual, que passadas de geração em geração eram
utilizadas à bel-prazer .Nasceu então na data de 24 de abril de 1930 o iluminado do clã, apelidado de “Zé do Sarney” mostrou cedo suas habilidades em “emburrecimento de massa” e em “manipulação de mídia para auto-favorecimento” , tornando-se o queridinho da família e tendo acesso a ÍNCRIVEL CHAVE bem cedo.
Durante 40 anos ele saiu do pobre Maranhão para o mundo, de deputado à presidente da cômica republica brasileira, esvaziou prateleiras com os ridículos ”fiscais do Sarney”, chegando a presidência do senado, onde canta à três mandatos de presidência “daqui vejo os seus podres daqui ninguém me tira”.
Enquanto isso, continuava dominando, juntamente com seu CADA VEZ MAIS ENORME clã, a ferro e fogo o estado mais miserável da nação, chegando a fechar televisões e jornais, tirando do ar a Rede Globo de Televisão(que num é bicho pequeno, imaginem o que fará conosco pobre Panzjornaleiros) e etc. Não muito longe dali, um juiz fazia sucesso com os pobres coitados de Santa
Quitéria, o nome dele era Jorge Moreno e, simplesmente, acabara com o sub-registro no município, uma das máculas das seguidas administrações da família Sarney no estado, sendo homenageado pelas Nações Unidas pelo feito de conceder certidão de nascimento e carteira de identidade para 100% daquela população. Mas se você ainda acha que a ONU tem alguma moral após a invasão do Iraque pelos EUA, tenho que dizer que Brasil é terra de lei, mas que esta é gerida por certas pessoas, os antagonistas ricos.
O juiz daquele parco município notara que o Programa Luz para Todos, chegara ao município,
mas apenas naquelas placas 99.99% ilusórias, que estamos acostumados a ver. Era ano de eleição,
ou seja, a festa de quem dá mais pra quem tem menos.E ele descobriu e, portanto, denunciou o uso eleitoral das verbas federais.Daí o BEM venceu o MAL e a tia pode, finalmente, assistir àquela novela “Andando nas nuvens”…huahuahuhuahuahuahuhauhuahuahuahuhuahu…cê tah brincando, né?
O negocio ‘mi hermanos’ é que mexeram com comparsas do Sarney, e ele, que já era Bicho Homem, já tinha roubado e mandado matar, pediu um favorzinho, daqueles que só se pede pra família, sua cunhada, a desembargadora Nelma Sarney, aposentou o Juiz Jorge Moreno aos 42 anos, sobre a acusação de desenvolvimento de uma ação político partidária.

Mande esse texto para 100 amapeanos e 100 maranheses… se interesse por política… ou uma praga terrível continuará se alastrando em nosso país.