Arquivo | outubro, 2009

Review do filme Mamma Mia!

31 out

E aí garela, aqui é a mii e eu estou fazendo minha primeira postagem cinéfila!
Pois é, percebi que ando vendo muitos filmes (tanto em casa quanto no cinema), e achei que seria de grande utilidade se eu fizesse reviews a respeito do que vi, pro pessoal que gosta de ver outras opiniões, e pro pessoal que tá afim de ver algum filme, mas não sabe se é bom ou não.

Deixando as fangirlisses de lado, estou procurando ser bem direta e imparcial (em termos de gostar ou não de um ator/atriz) nas minhas resenhas.

Pra começar, escolhi o filme Mamma Mia, um musical com as músicas do Abba, que se passa numa ilha grega chamada Kalokairi.

O elenco principal já te anima a assistir o filme: Meryl Streep (The Devil Wears Prada, Doubt, Julie & Julia), Amanda Seyfried (Mean Girls, Jennifer’s Body), Pierce Brosnan (007, Mrs. Doubtfire) e Colin Firth (Bridget Jones, Dorian Gray).

O centro da história é o casamento da jovem Sophie (Amanda Seyfried), que nunca conheceu o seu pai verdadeiro (nem a sua mãe sabe quem é!). Um belo dia, ela encontra o diário da mãe, Donna Sheridan (Meryl Streep), escrito no ano em que Sophie nasceu, e descobre que ela dormiu com três homens na mesma época. Sophie decide, então, enviar convites para estes três homens, a fim de tentar descobrir, até o dia de seu casamento, qual deles é o seu pai biológico.

O enredo foi adaptado do filme Buona Sera, Mrs. Campbell, de 1968. Eu assisti a esse filme no cinema e revi em casa para poder fazer esta resenha. Nas duas ocasiões, me senti em um teatro, talvez por ser um musical, então os atores tendem a fazer atuações um tanto quanto teatrais demais para um filme.

Os personagens tem personalidades muito marcadas. Por exemplo, Donna Sheridan é a típica mulher retradada nos filmes que se passam na Grécia, que não está acostumada com as grandes modernidades das metrópoles americanas, muito caseira, de bem com a vida. Suas duas amigas são a antítese incorporada: uma está no terceiro casamento, é extremamente “perua”, rica e não está acostumada com a vida “rústica” que Donna leva; a outra adora cozinhar, já escreveu livros sobre o assunto, é despojada, alternativa, a típica mulher que já passou dos 40 anos mas que ainda não esqueceu o seu espírito jovem e aventureiro.

Percebi que uma boa forma de ver se o ator é realmente bom é colocando-o num musical. Acredito que o musical exija uma atuação muito mais forte, e se o ator não é bom o suficiente, pode acabar forçando demais e fica realmente algo muito falso. Em Mamma Mia, Meryl Streep mostra que é uma mulher de várias facetas, definitivamente uma atriz completa. Pra quem só lembra dela em papéis sérios como a Miranda de The Devil Wears Prada, ou a Irmã Aloysius Beauvier de Doubt, vale a pena vê-la cantando as músicas do Abba e fazendo o papel de uma mulher tão descontraída.

Quanto à Amanda Seyfried, posso dizer que este foi o primeiro filme que a vi realmente atuar. Só lembrava dela pelo papel em Mean Girls, coadjuvante sem muito brilho, fazendo um papel de uma adolescente americana que se deixava levar pelas amigas populares do colégio. Em Mamma Mia, Amanda Seyfried mostra que tem talento, não só para atuar como para cantar também. Não exagera, mas também não é ofuscada, fica no ponto ideal, marca como deve marcar e nos emociona assim mesmo.

Para aqueles que gostam de chorar vendo filmes, Mamma Mia também possui momentos sensíveis, como quando a mãe de Sophie vai ajudá-la a se vestir para o casamento, e as duas começam a cantar “Slipping Through My Fingers”, mostrando a efemeridade do tempo para a mãe, como a sua filha cresceu rápido e agora está escorregando por entre seus dedos.

O final irreverente chega a parecer demais um conto de fadas, onde todos terminam felizes. Na verdade, o filme inteiro, até mesmo nas partes mais tensas, carrega uma energia muito boa, seja pela atuação do elenco quanto pelas músicas do próprio Abba. Pode não ser um daqueles 90 minutos de onde você tira uma lição de vida, mas é interessante ver como os personagens lidam com situações tão irreverentes. É curioso também ver como as músicas se encaixam perfeitamente bem nas cenas e nos acontecimentos. A equipe de roteirização fez um bom trabalho, definitivamente!

Mamma Mia não é um filme com uma grande produção como Moulin Rouge, mas carrega o mesmo orgulho de ser um musical com uma trilha sonora tão importante. Com bela fotografia e um roteiro que flui naturalmente, recomendo não só para os fãs de Abba, mas para todos os que apreciam filmes com um belo toque artístico.

Anúncios

Momento tenso do dia

30 out
Pedrinho José, enamorado, aqui para compartilhar com vocês um momento tenso do meu dia!

Estava eu a andar pelos corredores de minha querida faculdade, quando olho para um cartaz de uma mostra de cinema patrocinada pela Cinemateca Brasileira, cuja logomarca é um tanto quanto… temdëmssyoza!

Encontrei a mesma logomarca sagazmente no site da Mostra!
Confiram comigo no Tenso Graphic abaixo

Que coisa! O.O

E pra finalizar a postagem rápida de hoje, uma imagem nonsense e traquinas ^^

Falou, fellows and followers!

BeijosmeliguemeAmanda,alémdetodatristeza,preocupaçãoeproblema,meuamorporvocêémaiorquetudo!

*Câmbio e dirligo!*

Coletânea de um "jornalista esportivo"

30 out

Todos sabemos do grande ódio que muitos brasileiros sentem por Galvão Bueno. Existem pessoas que não aguentam mais ouvir a voz desse “cuspidor de microfone” e nem escutar comentários sem sentido feitos por ele. Mas não tenham dúvidas da capacidade de seus vídeos baterem recordes de acesso no youtube, devido aos seus esporros.

Em 1994, Galvão Bueno já demonstrava o tamanho da sua IGNORÂNCIA.

http://www.youtube.com/v/30lZ9hAjTnM&hl=pt-br&fs=1&

Reparem que Pelé desisitiu há muito tempo de trabalhar com esse maluco. Já Arnaldo…. continua sendo muito paciente.

ARNALDO, tá abrindo!

O caso UNIBAN

30 out

Esse foi o par de pernas causador de todo o acontecido na UNIBAN. Nunca antes na história desse país, um par de pernas deve ter causado tamanho alvoroço.

Se você disse: “Ah, vestida assim também! Ela deu motivo”. OK, Parabéns. Voce é da turma dos ridículos moralistas da UNIBAN.

Desde quando a maneira como alguém se veste/comporta/é dá direito a outras pessoas de se portarem daquela maneira. A garota quase foi posta na nova fogueira da inquisição no meio da universidade.

Onde mesmo?

Presume-se que pra chegarem até ali aqueles animais, agindo totalmente em rebanho, deveriam ter o mínimo de discernimento, mas não foi isso que se viu ali. Vimos pessoas caminhando pelos corredores com suas tochas (leia-se: celulares), gritando “Queimem a bruxa!” (leia-se: pu-ta). Só tinha visto situação semelhante em filmes. Na Idade Média.

A garota que fala “vamo ver a puta da faculdade” deve ser a mais puritana das puritanas. Ela vai pra uma micareta, fica com 18 caras e, depois da 20° “breja”, beija até as duas amigas que foram com ela. Aí tudo bem, né? Afinal, é assim que funciona num país onde ver uma bunda na televisão é normal, mas a mulher usar a roupa que bem lhe interessa, não. Aí ela é pu-ta.

Os gringos ainda acham que aqui no Brasil é “livre”. Fora do Brasil, uma situação como essa é inimaginável, exceto em países do Oriente Médio, onde, se as mulheres mostrarem um dedo do pé, elas tem o direito de serem apedrejadas até a morte. Mas aí, um brasileiro olha e fala “isso é um absurdo”, enquanto isso, ele reprime a filha dele, porque ela tá usando batom ou começando a namorar.

Por essas e outras, sou a favor de que ande #todomundonu.

@paulosena

Uma minissaia e uma Universidade cheia de preconceituosos!

30 out
Pedro Pimpão, cada dia mais apaixonado, aqui está para lhes contar uma historinha…

Provavelmente você já deve ter sido julgdo por sua aparência. Seja pelo seu jeito de andar, conversar, interagir, ou, até mesmo, de se vestir, não é mesmo, panzepimbeiro?

Pois é, o mote de minha narrativa é mais ou menos esse…

Imaginem, uma jovem estudante de Turismo, numa Universidade de São Bernardo dos Campos (na grande São Paulo), vai à aula de minissaia.
Bem, se isso acontecesse com alguém de nossa faculdade talvez nada demais aconteceria. Mas algo aconteceu.
Algo extremamente ridículo!
Algo digno de raiva, indignação, repúdio e muito ódio!

A roupa que a estudante usava causou uma bagunça generalizada em toda a Universidade. Os escrotos (vulgo, estudantes da faculdade) começaram a xingá-la de forma tenebrosa devido à sua minissaia! Não sei e não posso dizer que foi exclusivamente devido a isso, já que não a conheço mas a tosquidão da situação não tem como possuir uma razão convincente.

Ela só pôde sair da faculdade devido a intervenção da polícia Militar, usando um jaleco, e sendo bombardeada por todo tipo de xingamento.
Bem, digamos que por um momento eu pensei que universitários poderiam ter uma consciência e uma noção, mas, pelo visto, parte desse grupo (de nosso grupo) ainda vive com o pensamento quadrado e tosco. Ridículo, não consigo definir com outro palavra que não essa!

Nunca entendi essa necessidade humana de ridicularizar os outros, ainda mais devido a algo tão supérfluo com o modo de se vestir.
Enfim, veja o vídeo e tire suas próprias conclusões.

Eufemisticamente falando, eu fiquei puto de indignação!

http://www.youtube.com/v/mKRHKfPOWiQ&hl=pt-br&fs=1&color1=0x402061&color2=0x9461ca

Filhos da mãe! ¬¬

Enfim, é isso!

Vídeodica da Nena Câmara, via Twitter ^^

BeijosmeliguemeAmanda,tudoqueeufaçonessavidaéprateverfeliz!

*Câmbio e dirligo*

Façam suas apostas – Reggaeton X Tarrachinha

29 out

Pedro José, cada vez mais admirado com a eterna beleza de meu amor, aqui para fazer um confronto pesaaaado!

Abro e banca e grito “FAÇAM SUAS APOSTAS!”

Lembra daquelas postagem que eu fiz sobre a Tarrachinha, dança tradicional da Angola?
[Se não quiser dar um pulo lá na outra postagem que eu fiz, espere que eu colocrei o mesmo vídeo sobre tal dança aqui nessa daqui, aguarde ^^]

Bem, hoje trago a vocês uma competição deveras interessante.
Aposte, caro amigo panzepimbístico:

Qual das senhoras que aparecerem nos vídeos engravidará primeiro?

Começando com o vídeo de Tarrachinha que eu supracitei.
Confira comigo no replay:

http://www.youtube.com/v/uthehLASWnY&hl=pt-br&fs=1&color1=0x402061&color2=0x9461ca

E agora, o casal que vocês verão está dançando Reggaeton, ritmo característico da Colômbia. Meu filosófico e construtivo comentário ao ver esse vídeo foi “EITA PORRA, MERMÃO!”
Vejam:

http://www.youtube.com/v/XMTP7JoB8bU&hl=pt-br&fs=1&color1=0x402061&color2=0x9461ca

Enfim, façam suas apostas!
#depoisdenovemesesvocêvêoresultado

Enfim, por hoje é só, pessoal!

BeijosmeliguemeAmanda,eutavamorrendodesaudadedetu,agorasótôdoidodesaudade
mesmo,minhapequena^^”

*Câmbio e dirligo*

Jesus 2000

27 out

Como seria jesus se ele tivesse nasciodo nessa década?
Com um show visual alguns franceses demonstraram como seria

http://vimeo.com/moogaloop.swf?clip_id=6547492&server=vimeo.com&show_title=1&show_byline=1&show_portrait=0&color=&fullscreen=1

JESUS2000 from jesus 2000 on Vimeo.

Tá visualmente perfeito *-*
puta que pariu, ta massa
abraço negada